Sunday, October 18, 2009

Tipos de Monitoramento de Segurança de Rede

Antes de iniciar este post, gostaria de retomar uma discussão frequente e uma resposta que tenho a esta questão: "O que uma empresa ou órgão deve fazer para estar preparado a responder incidentes de segurança (do ponto de vista de soluções/produtos)?":
Meu posicionamento/resposta diante desta pergunta:

I - Uma infra-estrutura de "Network Forensics"
que seja capaz de reconstruir e fazer o "replay" dos pacotes relacionados ao ataque (ex: NetWitness NextGen /
NikSun / Infinistream / NetIntercept )

II - Uma solução de SIEM/SEM para correlacionamento em near-real time dos logs (firewall, roteadores, servidor comprometido, ids/ips, dhcp, dns, aplicações internas) (ex: ArcSight / ISM Intellitatics / Symantec SIM)

III - Uma solução (idealmente enterprise) de forense computacional que possibilite a análise de dados voláteis (incluindo memória) e de disco (ex: Encase Enterprise / F-Response / AccessData Enterprise )

IV - Uma ferarmenta de monitoração de atividade de desktops (ex: SpectorCNE, WorkExaminer) [item incluído em 18/10/2009]

Com relação a primeira das soluções listadas acima, o Richard Bejtlich (CSO da General Eletric e autor de vários livros - todos recomendados) é uma referência mundial no que diz respeito à Segurança e Monitoramento de Rede, já o utilizei de referência/links em vários assuntos abordados aqui no nosso blog.

Ele postou há alguns dias atrás um artigo muito interessante sobre tipos de aplicações de monitoração de segurança de rede e eu fiquei esperando ter um tempinho para atualizar o blog com este excelente material e discussão.

São elencados por ele seis "data types" (maltraduzindo: tipos de dados) possíveis em uma ferramenta que lida com monitoração de rede (tradução livre minha):
  1. Alertas: julgamento e detecção e/ou bloqueio feito por um produto ("Port scan!" ou "Buffer overflow!");
  2. Estatísticas: descrição high-level de atividades (percentual de protocolos, tendências, etc.);
  3. Sessões: comunicações entre hosts ("A conversou com B na 6a-feira por 61 segundos enviando 1234 bytes");
  4. Conteúdo Completo (Full Content): todos os pacotes trafegados (no cabo/ar);
  5. Extração de Conteúdo: reconstrução de elementos de uma sessão e extração de metadados;
  6. Transações: geração de logs baseado em tráfego do tipo requisição-resposta (request-reply) como DNS, HTTP, etc.
Depois disto, ele produziu uma interessante tabela de referência contendo as categorias de produtos de Monitoramento de Segurança de Rede e os tipos de data types suportados por cada uma (genericamente). Esta foi a melhor abordagem comparativa de tecnologias de Segurança de Rede do ponto de resposta a incidentes que já vi.

Na minha opinião, a tabela mostra claramente porque uma organização que se preocupa com segurança precisa possuir ou desenvolver pelo menos uma das duas últimas categorias de produtos (NetWork Forensic Appliance ou Custom NSM Appliance) e não se satisfazer com soluções tradicionais (ex: IDS/IPS).

Apresento abaixo uma análise da tabela apresentada, algumas opiniões próprias (*) e nomes de aplicações e produtos que o autor do post citado preferiu não incluir.

(1) Produto IDS/IPS: Alerta ou Bloqueio OK; Estatísticas de Alertas OK; Sem Sessões; Sem Conteúdo Completo; Sem Extração de Conteúdo; Sem Transações. [ * Minha opinião: melhor opção comercial: SourceFire, melhor opção free: Snort / pouquíssimas vezes tive a oportunidade de ver um IDS/IPS bem gerenciado/"tunado"* ]

(2) Produto NBAD (Network Bahavioral Anomaly Device): Alerta baseados na análise de flows; Bons dados estatísticos; Bons dados de sessão; Conteúdo Completo somente para alguns flows; Sem Extração de Conteúdo; Sem Transações.

(3) Network Forensic Appliance: Sem alertas (* O NextGen da NetWitness possui alertas *); Bons dados estatísticos; Dados de sessão não podem ser manipulados imediatamente (*O NextGen da NetWitness permite que dados de sessão que possam ser manipulados imediatamente * ); Conteúdo Completo (propósito deste tipo de solução); Extração de Dados (alguns appliances possuem); Bons dados de Transações.

(4) Custom NSM Appliance *ou faça você mesmo com ferramentas de código aberto*: Alertas: Snort, Bro; Estatísticas: MRTG, Ntop; Sessões: auto-contidas ou aceitam Netflow; Conteúdo Completo: Dumpcap/Wireshark, Daemonlogger/Snort; Extração de sessão: requer desenvolvimento próprio (* tcpxtract, Networkminer *) ; Transações: Bro, Httpry.

Extendendo a resposta dada no início deste post no que diz respeito à monitoração de rede com objetivo de resposta a incidentes:

Se você possui budget
para investimento, o ideal é buscar uma solução de Forense de Rede (opção 3 acima - que também é a que traz resultados mais rápidos)

No caso de não ter dinheiro mas possuir uma equipe numerosa e qualificada em segurança e open-source para dispor no desenvolvimento de uma solução customizada, o melhor (porém mais demorado) caminho é a opção 4 (Custom NSM Appliance).

Sei que este tipo de discussão costuma gerar debates interessantes... Comentários?

10 comments:

  1. Mais completo que isso impossível ... hehe
    Abs ...

    ReplyDelete
  2. Sandro,

    Chegaste a usar no Netwitness pacotes capturados pelo wireshark?? Emerson

    ReplyDelete
  3. caramba e eu que achei que so existia IDS e IPS
    muito legal o material valeu por divulga-lo

    ReplyDelete
  4. Senhores obrigado pelos comentários.

    Emerson: testei sim - o NetWitness Investigator funciona bem com pacotes capturados pelo wireshark (ele importa e exporta no formato pcap).

    É uma tremenda mão na roda para achar e reconstruir sessões baseado em totalizações (protocolo, nomes de arquivo, de usuário, etc), regras ou palavras chave (incluindo expressões regulares).

    Existe uma versão free do Investigator para download em http://www.netwitness.com (tem apenas limitação de 25 coleções até 1GB).

    [ ]s,

    --
    S.S.

    ReplyDelete
  5. Artigo sensacional. Parabéns!

    ReplyDelete
  6. CARAMBA Sandro! Você se superou nesta, hein? Meus parabéns meu amigo! EXCELENTE material! Seu blog só melhora, impressionante!!!!!!

    Grande Abraço!

    Daniel Alves

    ReplyDelete
  7. Mucho gusto!!!

    Muito bom Sandro!! Essa duvida deixa muita gente de cabelo em pe mesmo... :)

    Agora alguns pontos importantes no qual um SIEM deve possuir para que possa de fato, ajudar:

    - O Correlacionamento tem que ser feito quase que por completo em memoria, senão tu perde o near-real time e vira "almost near-unreal iuhuuu time";

    - O SIEM deve ser capaz de compreender dados historicos, fazer minnnning seja atraves de algoritimos neurais (nao supervisionados p/ identificar padroes nao lineares) ou simplesmente estatisticos correlatos, senao tu vai passar a vida toda tunando o SIEM e ele mesmo assim nunca vai ficar bom o suficiente, e super comum alguem adquirir um SIEM e na hora da implantacao vem a pergunta "P/ que?", e ai comeca a bomba! uhahuahua, enfim, isso e uma funcao quase que obrigatoria, bem, criar regras de correlacao automaticamente baseada no historico e so resultado... mas tem que ter meu;

    - O SIEM deve controlar os fluxos de logs na sua rede, caso contrario tu vai ter um flood no qual o seu NBAD vai em alguns momentos achar ser um DoS! huahuauhahuahua

    - O SIEM deve se proteger contra loop de regras e DoS nos coletores, afinal, qd um sujeito e um predicado sabe q no ambiente X tem SIEM, a primeira coisa a fazer e floooodaaaaa, e isso funciona em 2 dos 3 que voce citou! hehehehe

    - Situation Awareness, eu posso escrever um artigao aqui so sobre isso, mas e o motivo da existencia de SIEM, prover a capacidade analitica do que ocorre no ambiente, se ele nao tem capacidade de fazer isso, tu vai ter um grande servidor de syslog com interface bonitinha... isso que ocorre em 90% das tecnologias... hehehehe, se ta ligado! :)

    - Ser robusto o suficiente e escalavel, serio, tem SIEM que joga log fora quando passa o limite de "EPS" que ele se propoem a tratar, isso e o cumulo mano... huauhahua, 100.000 EPS deve ser o MINIMO em pico, caso contrario, volte a opcao anterior e adicione um preco alto por algo que vai se tornar inutil em poucos dias/meses dependendo do ambiente!

    - Trabalhar com pcap NATIVAMENTE, e interpletar 100% as infos que o Netwitness vai passa p/ ele, da p/ fazer muiiiiiiiiitas magicas com isso, muitas muitas...

    - Normalizar/Categorizar, senao volte ao syslog server que vai ser mais util e mais barato...

    - etc etc etc... preciso faze um blog tb, ow sim! hohoho

    Boooooooooouaaaa man! Fuis! :)

    ReplyDelete
  8. Diga Zanardo, tudo certo?

    Rapaz, o post era sobre o item I da minha lista.. mas você praticamente fez um posto completo mesmo sobre o item II (SIEM)! =)) Valeu pela contribuição!

    Valeu a todos pelos elogios (Daniel, Zanardo, William, Emerson e Fael).

    ReplyDelete
  9. Sandro, Perfeito o post!!

    Solução de SIEM é considerada ainda muito "cara" pela maioria das empresas... então o SOC vai sofrer no velho Syslog Server e ferramentas otimizadas.

    ReplyDelete
  10. Impressionante a quantidade de informacoes que voce disponibilizou sobre o assunto. O seu blog e muito bom, voce esta de parabens.

    Marco Feitosa

    ReplyDelete

Labels

forense (50) resposta a incidentes (40) segurança em profundidade (27) vulnerabilidade (27) treinamento (22) cyberwar (18) conferência (16) forense de memória (15) hackers (15) malware (15) blogs (14) vazamento de informações (13) windows (13) ddos (12) china (11) criptografia (11) dns (11) exploit (11) google (11) microsoft (11) ferramenta (10) memoria (10) botnet (9) csirt (9) forense de disco (9) forense de rede (9) ftk (9) legislação (9) phishing (9) 0-day (8) NIST (8) accessdata (8) encase (8) evento (8) ferramentas (8) kaspersky (8) linux (8) negação de serviço (8) netwitness (8) sans (8) volatility (8) cert.br (7) correlacionamento (7) desafios (7) forense corporativa (7) internet explorer (7) livros (7) pageviews (7) pci (7) privacidade (7) twitter (7) usa (7) APURA (6) Guidance Software (6) espionagem industrial (6) governo (6) iccyber (6) metasploit (6) monitoração (6) skype (6) techbiz (6) 0day (5) CDCiber (5) blackhat (5) brasil (5) dlp (5) falha (5) fbi (5) ids (5) inteligencia (5) java (5) memoryze (5) modelagem de ameaças (5) métricas (5) nsa (5) patch (5) pdf (5) policia federal (5) python (5) registry (5) richard bejtlich (5) rsa (5) segurança (5) segurança de rede (5) siem (5) CyberCrime (4) Enscript (4) adobe reader (4) algoritmo (4) android (4) anti-forense (4) anti-virus (4) arcsight (4) auditoria (4) backdoor (4) backtrack (4) campus party (4) ccc (4) certificação digital (4) ciberespionagem (4) defacement (4) drive-by (4) estatísticas (4) exploit kit (4) firefox (4) fud (4) gsi (4) mandiant (4) md5 (4) online (4) pentest (4) programação (4) safe browsing (4) sandbox (4) slowloris (4) ssl (4) storm worm (4) stuxnet (4) trojan (4) wikileaks (4) windows7 (4) .gov (3) ameaça (3) blackberry (3) ceic (3) chrome (3) ciberguerra (3) cloud (3) conscientização (3) crackers (3) cymru (3) dan geer (3) defesa (3) dsic (3) engenharia social (3) enisa (3) evidence (3) fast flux (3) forense digital (3) hardware (3) htcia (3) https (3) imperva (3) intel (3) ips (3) live cd (3) logs (3) man in the middle (3) networkminer (3) perícia digital (3) processo (3) ransomware (3) registro (3) reportagem (3) revista (3) risco (3) secunia (3) shell (3) shodan (3) sox (3) sql injection (3) tools (3) truecrypt (3) verizon (3) virus (3) vista (3) voip (3) worm (3) .mil (2) BSIMM (2) Encase Enterprise (2) JDFSL (2) TPM (2) Virustotal (2) XSS (2) adobe flash (2) aduc (2) amazon (2) apache (2) apple (2) autenticação (2) bloqueador de escrita (2) breno silva (2) bruce schneier (2) bundestrojaner (2) cache poisoning (2) caine (2) carders (2) carnegie mellon (2) carolina dieckmann (2) carving (2) censura (2) cipav (2) cofee (2) coldboot (2) comodogate (2) conficker (2) consciência situacional (2) cooperação (2) core (2) cucko´s egg (2) cuda (2) cyberwarfare (2) database security (2) digital intelligence (2) direito digital (2) dnschanger (2) dpf (2) engenharia elétrica (2) engenharia reversa (2) etir (2) expressões regulares (2) f-response (2) finfisher (2) fingerprinting (2) firmware (2) flash (2) fraude (2) ftkimager (2) full disclosure (2) fuzzy (2) gsm (2) hacktivismo (2) hbgary (2) heap spray (2) iOS (2) immunity (2) impacto (2) insecure magazine (2) insiders (2) interceptação (2) iphone (2) irc (2) irã (2) jaquith (2) loic (2) mac (2) mastercard (2) mestrado (2) mobile (2) ms08-067 (2) openioc (2) openssl (2) otan (2) palantir (2) paypal (2) pcap (2) pdgmail (2) portugal (2) presidência (2) prisão (2) proxies (2) ptfinder (2) rbn (2) recompensa (2) recuperação (2) regripper (2) relatório (2) resumo (2) rio de janeiro (2) ross anderson (2) russia (2) securid (2) segurança por obscuridade (2) sift (2) snort (2) snowden (2) sony (2) sorteio (2) spam (2) spoofing (2) spyeye (2) sql (2) ssd (2) stealth (2) suricata (2) sysinternals (2) tecnologia (2) trend micro (2) unb (2) usb (2) virtualização (2) visa (2) vulnerability (2) waf (2) winen (2) wireless (2) wpa (2) wpa2 (2) xry (2) zeus (2) .edu (1) .pac (1) 3g (1) ABNT (1) AR-Drone (1) AppleGate (1) Asterisk (1) Audit Viewer (1) BIOS (1) CCDCOE (1) CEF (1) CERT (1) CSI Cyber (1) CarbonBlack (1) Craig Wright (1) DC3 (1) Diginotar (1) Dilma (1) DoD (1) Equation (1) FACE (1) FRED (1) Facebook (1) Fred Cohen (1) GPU (1) Gene Spafford (1) HP (1) ICOFCS (1) ICS (1) IDMEF (1) IJDCF (1) IJDE (1) IJOFCS (1) INFOSEG (1) IODEF (1) IPv6 (1) ISIS (1) ISO (1) MAEC (1) MCT (1) MMEF (1) Michael Cloppert (1) Ministério da Defesa (1) Netwtiness (1) OVAL (1) PL84/99 (1) RH2.5 (1) RNP (1) SDDFJ (1) SbSeg (1) Seccubus (1) Stratfor (1) TED (1) TJX (1) TV5 (1) TV5Monde (1) Tallinn (1) USCyberPatriot (1) USSTRATCOM (1) VERIS (1) VRT (1) WPS (1) WiPhire (1) Wifi Protected Setup (1) Windows10 (1) XMLHttpRequest (1) YARA (1) a5/1 (1) a5/3 (1) active defense (1) adeona (1) adhd (1) aes (1) afflib (1) akamai (1) alemanha (1) ambev (1) angler (1) anti-theft (1) antisec (1) anubisnetworks (1) apt (1) apwg (1) aquisição (1) arbor (1) armoring (1) artefatos (1) artillery (1) asprox (1) assinaturas (1) atenção seletiva (1) attack (1) aurora (1) australia (1) autonomous systems (1) avg (1) avi rubin (1) avware (1) awards (1) baixaki (1) bash (1) bbc (1) bear trap (1) belkasoft (1) bgp (1) birthday attack (1) bitlocker (1) black tulip (1) blackhat seo (1) blacklist (1) blind sql injection (1) bluepex (1) bluepill (1) breaking point (1) bug (1) bulk_extractor (1) byod (1) c2c (1) capacidade (1) carbon black (1) careto (1) carnivore (1) cartão de crédito (1) cbs (1) cellebrite (1) celular (1) centera (1) cerberus (1) certificações (1) cheat sheet (1) chip (1) chris paget (1) chromium (1) citrix (1) clean pipe (1) cliff stoll (1) cloudfare (1) cloudflare (1) cloudshield (1) cnasi (1) cnet (1) cnn (1) codenomicon (1) coleta (1) comodo (1) comodobr (1) compliance (1) comsic (1) convenção de budapeste (1) convergence (1) copa do mundo (1) coreia do norte (1) corey johnson (1) cpbr (1) crime na rede (1) crise (1) cristine hoepers (1) cuckoo (1) cyberattack (1) cyberbunker (1) daemonlogger (1) dam (1) dancho danchev (1) darkmarket (1) dcom (1) decaf (1) decaf v2 (1) decloack (1) deepweb (1) defcon (1) deutche telekom (1) dfrws (1) digitask (1) dimmit (1) diário oficial (1) dnsbl (1) dnssec (1) dou (1) downadup (1) drdos (1) drwxr (1) dsd (1) dumpcap (1) dumpit (1) duqu (1) e-evidence (1) ediscovery (1) eff (1) elcomsoft (1) emc (1) emprego (1) energia (1) enigma (1) entrevista (1) escola nacional de defesa cibernetica (1) eset (1) esteganografia (1) estonia (1) estratégia (1) etld (1) europa (1) eventos (1) evil maid (1) evilgrade (1) exercito (1) exploit-db (1) exportação (1) extorsão (1) f-secure (1) falso positivo (1) fantastico (1) fatal error (1) fecomercio (1) fernando carbone (1) ff4 (1) finlândia (1) flame (1) flexispy (1) foremost (1) forense de vídeo (1) forensic focus (1) forensic magazine (1) forensics (1) forensics.wiki.br (1) forensicswiki (1) força bruta (1) frança (1) full disk encryption (1) g1 (1) gauss (1) gcih (1) ghostnet (1) globo (1) gmail (1) gpcode (1) gpl (1) gps (1) grampo (1) guardium (1) guerra (1) guilherme venere (1) hack (1) hackerazzi (1) hackingteam (1) hakin9 (1) hardening (1) harlan carvey (1) hash (1) helix (1) hitler (1) holanda (1) honeynet (1) honeypot (1) hope (1) hosts (1) hotmail (1) httpry (1) iPhoneTracker (1) idefense (1) ig (1) impressoras (1) india (1) info exame (1) insecure maganize (1) intenção (1) interpol (1) interview (1) into the boxes (1) investimento (1) ioerror (1) iphone forensics (1) ironport (1) isc2 (1) israel (1) j2ee (1) jacomo dimmit (1) jailbreak (1) javascript (1) jesse kornblum (1) jotti (1) junho 2008 (1) kaminsky (1) kasumi (1) kgb (1) kits (1) klaus steding-jessen (1) kntools (1) kraken (1) langner (1) lime (1) limites (1) lista (1) lm (1) locaweb (1) lockheed martin (1) lynis (1) lógica (1) mac memory reader (1) mac memoryze (1) macosx (1) magic lantern (1) map (1) marcapasso (1) marcelo caiado (1) marcos ferrari (1) mawlare (1) mbr (1) mcafee (1) mcgraw (1) memscript (1) metasploitable (1) mindmap (1) mit (1) mitigação (1) mitm (1) moonsols (1) moxie (1) mrtg (1) ms08-033 (1) nac (1) nessus (1) netcontinuum (1) netflow (1) networking (1) ngrep (1) nit (1) nmap (1) norma (1) norse (1) notebook (1) ntlm (1) ntop (1) ntp (1) nuclear (1) obama (1) oi (1) oisf (1) oiss (1) olimpiadas (1) openbts (1) openvas (1) opm (1) oportunidade (1) oracle (1) orkut (1) otp (1) owasp (1) packers (1) panda (1) pattern matching (1) payback (1) pcre (1) pedofilia (1) pentesting (1) perforce (1) pericia (1) perl (1) perícia (1) pfsense (1) pgp disk (1) phonecrypt (1) pki (1) ploks (1) poisoning attack (1) policia civil (1) polypack (1) port knocking (1) português (1) post-mortem (1) postgres (1) powershell (1) prefeitura (1) premiação (1) preparação (1) princeton (1) provedores (1) ps3 (1) psn (1) psyb0t (1) pushpin (1) pwn2own (1) pymail (1) quebra de sigilo (1) r2d2 (1) rainbow tables (1) rar (1) realengo (1) reação (1) record (1) referência (1) regex (1) registry viewer (1) regulamentação (1) remnux (1) renato maia (1) renault (1) replay (1) reversing labs (1) roi (1) rootkit (1) router (1) rpc (1) ruby (1) sanitização (1) santoku (1) sc magazine (1) scada (1) scanner (1) scm (1) secerno (1) second life (1) security (1) securityonion (1) senasic (1) sentrigo (1) sep (1) sequestro de dados (1) sha1 (1) shadowserver (1) shmoocon (1) siemens (1) sites (1) skorobogatov (1) slideshare (1) smartcard (1) snapcell (1) software (1) sotirov (1) sp (1) spamhaus (1) spidertrap (1) squid (1) sri (1) ssdeep (1) sseguranca (1) sslstrip (1) sting (1) stj (1) street view (1) sucuri (1) superinteressante (1) são paulo (1) t-mobile (1) takedown (1) teamcymru (1) technosecurity (1) telefônica (1) terra (1) terrorismo (1) timeline (1) tizor (1) tls (1) token (1) topcell gsm (1) tresor (1) trustwave (1) tse (1) turquia (1) txtBBSpy (1) umass (1) unix (1) urna eletrônica (1) us-cert (1) usenix (1) userassist (1) vazamentos (1) venda de senhas (1) venere (1) verdasys (1) verisign (1) videntifier (1) visualização (1) visualize (1) vivo (1) vm (1) votação (1) wargaming (1) wasc (1) web 2.0 (1) weblabyrinth (1) websense (1) whitelisting (1) whois (1) wigle (1) win32dd (1) winacq (1) windbg (1) windd (1) winifixer (1) wipe (1) wired (1) wireshark (1) wlan (1) wordpress (1) wrf (1) xerxes (1) xp (1) zdi (1) zlob (1)